Cupom de Desconto
Quem postou : Karol Hoffmann sábado, 26 de abril de 2008

SINOPSE
“A história amorosa e inesquecível de uma família em formação e o maravilhoso e neurótico
cão que lhes ensinou o que realmente importa na vida.

John e Jenny haviam acabado de se casar. Eles eram jovens e apaixonados, vivendo em uma pequena e perfeita casa e nenhuma preocupação. Jenny queria testar seu talento materno antes de enveredar pelo caminho da gravidez.
Ela temia não ter vindo com esse “dom” no DNA, justamente porque matara uma planta por excesso de cuidado: afogando-a.
Então, eles decidiram ter um mascote. Vão a uma fazenda, escolhem Marley, ao tomar contato com uma ninhada, porque também ficam encantados com a doçura da mãe, Lily; só depois têm uma rápida visão do pai, Sammy Boy, um cão rabugento, mal-encarado e bagunceiro. Rezam para que Marley tenha puxado á mãe, porém suas “preces” não são atendidas. A vida daquela família nunca mais seria a mesma.

Marley rapidamente cresceu e se tornou um gigantesco e atrapalhado labrador de 44kg, um cão como nenhum outro. Ele arrebentava portas por medo de trovões, rompia paredes de compensado, babava nas visitas, apanhava roupas de varais vizinhos, e comia praticemente tudo que via pela frente, incluindo tecidos de sofás e jóias. As escolas de adestramento não funcionaram - Marley foi expulso por ter ridicularizado a treinadora.

Mas, acima de tudo, o coração de Marley era puro. Da mesma forma que ele recusava alegremente qualquer limite ao seu comporamento, seu amor e lealdade também eram ilimitados. Marley repartia o contentamento do casal em sua primeira gravidez e sua decepção quando sobreveio o aborto. Ele estava lá quando os bebês finalmente chegaram e quando os gritos de uma adolescente de dezessete anos cortaram a noite ao ser esfaqueada. Marley “fechou” uma praia pública e conseguiu arranjar um papel num filme de longa-metragem, sempre conquistando corações ao mesmo tempo em que bagunçava a vida de todo mundo. Por todo esse tempo, ele continuou firme, um modelo de devoção, mesmo quando sua família estava quase enlouquecendo. Eles aprenderam que o amor incondicional pode vir de várias maneiras.”

=========================================================

Terminei de ler esse livro, não sou muito chegada em biografias... Mas esse livro merece ser lido. Principalmente por quem tem ou já teve cachorros.
Em vários momentos da leitura me deparei pensando nos cachorros que tive e que tenho, esses seres que são tudo para mim e que com certeza sem eles eu não seria a mesma pessoa.
Como um animal dito irracional pode modificar toda a nossa existência. Criamos uma verdadeira relação de amor com eles.
Eles conseguem nos demonstrar amor, alegria, lealdade, companheirismo e devoção sem pedir nada em troca, sentimentos raros entre o convívio humano, a não ser um cafuné e um momento de atenção.
Antes de ter meu primeiro cão, o único sentimento que esses conseguiam despertar em mim era de pânico.
E a partir dae criei um verdadeiro amor por esses animais, e outros também.
Percebi o quanto esses animais nos amam incondicionalmente, talvez até mais que a eles mesmos, como são fiéis a seus donos.
As vezes não percebemos o quanto os amamos até que os percamos. Lendo o livro me recordei de como foi dificil quando tivemos que tomar a decisão que seria melhor para o meu cão do que para a gente. Ele sofria tanto que resolvemos dar-lhe descanço. Esquecemos de como a vida pode ser curta, principalmente a vida de um animal.
Até hoje parece que algo falta. Tenho outros animais, mas nenhum é como ele, o Lucky, nenhum é igual a nenhum, todos com suas próprias personalidades.
Ao ler o livro senti exatamente o que o autor diz ter sentido, imaginando e lembrando dos momentos, dei boas risadas, e chorei acredite ao ler o livro chorei ao sentir a falta dele, de como ele marcou minha vida e se tornou inesquecível para mim.
Esse livro me retornou a lembranças e me fez ver como esses bichinhos peludos são importantes em minha vida e como que os amo.

Esses são os responsáveis por me fazer sorrir nos dias de estresse!












Falecido Lucky

2 Responses so far.

  1. olá!
    o teu comentário emocionou mais que a sinopse , preciso ler este livro!

    eu adoro bichinhos, é tão mais fácil se relacionar com eles do que com criaturas ditas racionais....velha história, os bichinhos nao ti avaliam, não veem se tu é gorda, magra, vesga, loira, ruiva, ... claro, alguns são ressabiados, já apanharam tanto de humanos q perdem a confiança em nós...mas normalmente são tãoassanhados, tão fofinhos, brincalhoes, querendo compartilhara alegria deles! oh, melhor coisa que existe! verdadeiros companheiros! nossa, tanta coisa, pra escrever...huehue muitas coisas vem a mente..
    não entendo como alguém maltrata um bicho, isso sim é irracionalidade...

    amos meus bebês !até o cristiano ronaldo passa um carinho, tao fofinho! ai chega, aff, aff, falei falei e não disse nada...abraço!

  2. Sim eu to com o coração na mão de deixar eles em casa so,zinhos... Mas vo visitar eles sempre como pode esses bichinhos se tornarem tão importantes né?
    Se quiser o livro te empresto É muito emocionante e emngraçado!/
    Vale a pena emsmo
    Bjus

Popular Post

About









- Copyright © Blog da Karol -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -